15 superstições de marinheiro que você precisa conhecer

Data: 1 junho, 2017

Categoria: Barcos

Algumas superstições que ainda hoje acreditamos são tão antigas que já eram seguidas à risca pelos marinheiros romanos e gregos. Eu pessoalmente acredito que superstições são uma parte da cultura marítima e nós como amantes temos que conhecer algumas para não atrair o azar. Vamos lá:

1. Mudar o nome do barco

Dá má sorte trocar o nome do barco quando você vira o novo dono. Se você planeja fazer isso, terá que fazer uma cerimônia para rebatizar o barco.

2. Batizar o barco é muito importante

Os antigos gregos se reuniam com ramos de oliveira na cabeça para beber vinho e derramar um pouco de água no barco. Tudo para pedir a Poseidon que os protegesse na viagem.

Esse ritual migrou para os romanos e evoluiu até os dias de hoje. Os católicos e judeus começaram a utilizar o vinha e a água para pedir a proteção de Deus. Os otomanos sacrificavam ovelhas e lá por 1700 começaram a quebrar garrafas nos cascos.

3. Batizar é uma vez só

Se a garrafa não quebrar na hora de bater no casco é sinal de má sorte. O batizado tem que ser feito direito e você só tem uma chance para trazer boa sorte ao barco e a tripulação.

4. Golfinhos e aves marinhas: Sagrado

Nunca se mata um golfinho ou uma ave marinha como um albatroz, é sinal de má sorte. Acredita-se que as aves marinhas transportam as almas dos marinheiros mortos. Matar uma tartaruga e não comer também é certeza de azar.

5. Nunca partir em uma sexta-feira

Existem alguns dias que são complicados para uma marinheiro se lançar ao mar, mas o medo pior e mais antigo é partir em uma sexta-feira. Existem histórias de diversos navios que partiram na sexta e nunca retornaram. Na melhor das hipóteses jamais começarei uma jornada na sexta-feira 🙂

6. Sem bananas a bordo

Em um passado não tão distante transportar cargas de banana era um pesadelo para os marinheiros. Ocorreram muitos casos de aranhas serem transportadas para dentro do navio junto com as bananas e atacarem a tripulação. Uma picada no meio do oceano podia ser fatal.

Essa superstição não vou seguir pois adoro uma bananinha desidratada na minha lista de alimentos na aventura.

7. Assobiar

Assobiar em um barco é chamar vento. Em um dia calmo é bom assobiar para ter uns ventinhos mais fortes, só que em dias de vento não é bom assobiar pois você pode atrair uma tempestade.

8. Blasfemar

Assim com assobiar, em dias calmos você pode dar uma blasfemada ao vento para atrair a ira dos deuses. Só cuidado para não exagerar e acabar atraindo uma tempestade para si. Xingue só um pouquinho.

9. Gato preto

Carregar um gato preto no barco dá…… sorte. Isso mesmo, gatos por si só sempre foram bem vindos dentro dos barcos pois comem roedores, além de ser um animal de estimação que distrai a tripulação. Acredita-se que o gato preto tem poderes sobrenaturais que podem proteger o navio de uma tempestade. Se o gato cai na água, já era meu irmão: Quer dizer que aproxima-se uma tempestade que vai afundar o barco, e se ele não afundar, a tripulação terá 9 anos de azar.

10. Moeda debaixo do mastro

Uma superstição bem antiga que se mantém é a moeda debaixo do mastro, uma prática que vem lá dos romanos. Os romanos para passar desta vida para a outra, tinham que navegar o rio Styx, só que no caminho eles eram cobrados pelo deus Charon e só conseguiam entrar no paraíso se pagassem o tributo, por isso todo romano quando morria recebia ao menos uma moeda dentro da boca antes de ser enterrado. Isso passou através dos séculos e ainda hoje como tradição os construtores de veleiros colocam a moeda debaixo do mastro.

11. Tatuagens

Tatuagens sempre fizeram parte do mundo náutico desde os vikings, passando pelos piratas e depois nos marinheiros modernos pós 1a guerra mundial. Uma tradição é tatuar um porco e um galo nos pés, em caso de naufrágio, Deus irá ver os 2 animais que não sabem nadar e cuidará para que eles cheguem em terra a salvo. Acredita-se que tatuar a estrela polar ou a rosa dos ventos ajuda o marinheiro a achar o caminho de volta para casa.

12. Klabautermann

Os nórdicos têm uma lendas bem interessantes sobre a vida no mar. Uma delas é o Klabautermann, um duende que conserta o barco quando tudo está quase perdido. A imagem dele é bem comum no mundo náutico e você já pode ter visto e nem imaginava que era um Klabautermann.

É a imagem de um pequeno marinheiro vestido com capa amarela, fumando um cachimbo e com um martelo na mão. A desvantagem é que o Klabautermann só se deixa ser visto quando o navio já está condenado.

13. Cuidados pessoais

Alguém que se cuida demais cortando as unhas, fazendo a barba e cortando o cabelo a bordo pode trazer má sorte a tripulação. Essa é uma superstição pirata, uma vez que era comum da guarda britânica ter marinheiros tão cuidadosos com a aparência. Esse tipo de comportamento poderia indicar um espião.

14. Mulheres a bordo

Apesar de termos grande navegadoras na história, durante muito tempo não se permitiu mulheres dentro de barcos. As mais destemidas se vestiam de homens e trabalhavam mesmo assim. Já em outras culturas, onde as mulheres tinham mais poder, era comum elas navegarem com os seios a mostra para agradar aos deuses e trazer boa sorte.

15. Quebre a perna

Hoje esse termo é muito utilizado no teatro, mas ele nasceu nas superstições de marinheiros. Dizem que o mar não te dá o prazer de realizar os seus desejos, sendo assim, desejar boa sorte era sinal de azar, pois o mar não iria te dar boa sorte. Então era comum dizer algo que na verdade não desejamos que aconteça.

E você? Qual dessas superstições você acredita e não deixa de jeito nenhum acontecer no seu barco?

Comente!
Um abraço e bons ventos.

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Melhores barcos para morar

Como construir seu barco

Como usar o sextante

Quanto custa morar em um barco

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*