Afinal, quem são meus heróis na aventura?

Data: 16 novembro, 2017

Categoria: Aventuras

Conversando com um amigo outro dia, me foi perguntado qual era meu aventureiro favorito de todos os tempos. Eu já sabia a resposta na ponta da língua, porém, fiquei surpreso com a escolha do meu camarada: Christopher McCandless, o famoso Alexander SuperTramp.

Apesar de ser um grande fã da história dele, não considero o Supertramp um dos meus heróis, a minha escola de aventura está mais ligada ao militarismo, com excesso de planejamento e equipamentos adequados. Viajar sem mapas, preparo ou equipamento definitivamente não é minha praia.

Pensando nisso, fiz uma listinha com os aventureiros que eu tenho mais admiração e os motivos que fizeram eles entrarem na lista.

1. Ernest Shackleton

Nascido em: 15 de fevereiro de 1874 – Local: Irlanda

Com toda a certeza, considero o Shackleton um dos maiores aventureiros que pisou nesse planeta. Não somente na parte técnica que envolvia toda a parte marítima e terrestre, Ernest Shackleton era um gênio em gerir equipes em situação de calamidade. Sabe quando tudo dá errado?? Nessas horas ele era imbatível.

A Expedição Transantártica Imperial é uma das maiores epopéias de sobrevivência, onde 28 homens perderam seu navio e tiveram que acampar por quase 2 meses sobre a água congelada do mar e conseguiram ser resgatados 24 meses após o início da expedição, passando por todo tipo de dificuldade e realizando atos de bravura que nem os filmes de Hollywood poderiam imaginar.

2. Amyr Klink

Nascido em: 25 de setembro de 1955 – Local: Brasil

Fica até meio clichê para um Brasileiro colocar o Amyr entre o seus favoritos. Eu realmente acho que o cara é um navegador magnífico, porém, a maior influência dele foi o fato de tornar a aventura acessível em uma época que não existia nenhum material sobre o assunto em português. Quantos espíritos aventureiros nasceram lendo os livros dele?

Eu fui um deles, lembro exatamente quando li o “100 Dias entre Céu e Mar” e fiquei imediatamente apaixonado pelo mar. Foi no livro “Paraty” que li o nome do Shackleton pela primeira vez e mais uma vez, me apaixonei pela Antártica.

Se você nunca ouviu falar, vale citar que ele realizou a primeira travessia do Atlântico sul remando da África ao Brasil, já passou sozinho 1 ano na Antártica com o veleiro preso no gelo e foi o primeiro a dar uma volta à Antártica non-stop e sozinho velejando.

3. Reinhold Messner

Nascido em: 17 de setembro de 1944 – Local: Itália

A minha maior admiração por Reinhold Messner é o fato dele ser um aventureiro solitário da pesada. As aventuras dele são inúmeras, mas a que eu gosto mais é a subida do Everest sozinho e sem oxigênio suplementar. Lembrando que essa foi somente uma das suas grandes aventuras.

Ele foi o primeiro a conseguir escalar todas as 14 montanhas com mais de 8.000 metros de altitude sem utilizar oxigênio, realizou o sonho do Shackleton da travessia da Antártica sem veículos motorizados e fez o mesmo na Groenlândia. Atravessou em solitário o Deserto de Gobi na Mongólia.

4. Mike Horn

Nascido em: 16 de Julho de 1966 – Local: África do Sul

Mais um aventureiro solitário na lista e esse é um dos meus favoritos pois em uma mesma viagem ele teve que se mostrar um bom aventureiro em diversos ambientes. Sua principal expedição foi a volta ao mundo seguindo a linha do Equador, sozinho e sem utilizar nenhum veículo motorizado.

Em 2006 ele foi o primeiro a ir andando da Rússia até o Polo Norte em pleno inverno, em uma expedição de 60 dias na total escuridão do inverno ártico.

5. Edmund Hillary

Nascido em: 20 de julho de 1919 – Local: Nova Zelândia

Gosto da história do Edmund Hillary pois ele é a representação do grande aventureiro gente boa. Vários nomes que coloquei aqui na lista são arrogantes notórios, mas não Edmund Hillary. Ele foi o primeiro a chegar no topo do Everest, mas sempre fez questão de destacar o nome de Tenzing Norgay, o guia Sherpa que chegou junto com ele no topo.

A expedição do primeiro cume do Everest foi algo extraordinário. Quase 400 pessoas envolvidas e 4 toneladas e meia de equipamentos e provisões lideradas pelo barão John Hunt. Eram 2 duplas preparadas para atacar o cume, uma delas chegou a 100 metros do cume quando teve uma falha no sistema de oxigênio e tiveram que retornar, sobrando somente a equipe Hillary – Tenzing.

Ao chegar no topo, Edmund Hillary fotografou o amigo e surpreendentemente não quis uma foto dele lá no topo e ao descer sempre disse que os 2 chegaram ao mesmo tempo no topo. Ao decorrer do tempo, Edmund Hillary virou um apaixonado pelo Nepal e angariou fundos para a construção de 25 escolas, 2 hospitais e 12 clínicas médicas, além de reconstruir templos, plantar árvores e muitos outros feitos.

6. Frank Worsley

Nascido em: 22 de fevereiro de 1872 – Local: Nova Zelândia

Frank Worsley é o cara para se espelhar quando o assunto é navegação. Ele era o capitão do Endurance, navio da expedição Antártica de Ernest Shackleton. Em tempos que o GPS não era possível nem na imaginação, os conhecimentos de navegação de Frank Worsley foram fundamentais para ninguém morrer na expedição.

Após os 28 homens ficarem mais de 2 meses flutuando em uma placa de gelo, lançaram os barcos salva-vidas no mar e graças às técnicas de Worsley, navegaram até a Ilha Elefante pisando em terra firme pela primeira vez após 497 dias no mar. Para serem resgatados, Shackleton, Worsley e mais 4 tripulantes navegaram 1.300 km em um barco de 7 metros nos piores mares do mundo utilizando somente 1 sextante, 1 bússola e 1 relógio.


E você, tem uma lista? Compartilhe conosco.
Abraço e bons ventos.

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Itália e Croácia – Trechos de trem, ônibus e muitas dicas

Guloseimas para comer na fogueira

Quanto custa morar em um barco

Como morar em um trailer

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*