Coloque a Estrada Real no seu roteiro!

Data: 9 agosto, 2016

Categoria: Mochilão

Aqui nesse post, eu contei brevemente pra vocês como decidimos seguir de São Thomé das Letras, onde visitamos nossos amigos, até Ouro Preto, em Minas Gerais, e depois Paraty no Rio de Janeiro.

Como estávamos em um hostel em que o sinal de wifi não era dos melhores, apesar de ser um lugar super bacana pra se hospedar em Ouro Preto, o post sobre a Estrada Real foi super pequeno e mal pudemos falar sobre como é legal esse roteiro turísticos dentro do Brasil e tão pertinho de São Paulo, do Rio, de Brasília…

Agora, com mais tempo e internet melhor, posso escrever um post dedicado a convencer você a planejar uma viagem pela Estrada Real do Brasil! 🙂

Pois bem! Enquanto curtíamos o sossego da roça onde moram nossos amigos, começamos a pesquisar o roteiro a fazer com o Ford Ka vermelhinho assim que saíssemos de São Thomé. Considerando as variáveis de distância X preços X boas oportunidades, decidimos que a rota que nos proporcionaria mais momentos interessantes era conhecer o Caminho Velho da Estrada Real.

estradareal3

E com base em quais informações tomamos essa decisão?

No caminho de São Paulo a São Thomé passamos por diversas placas da Estrada Real, que são diferentes das placas convencionais de estrada por serem marrons (ao invés de verdes) e possuírem o símbolo da realeza. Intrigados em saber qual era a extensão total e o caminho daquela estrada que datava da época da colonização, começamos nossa busca por informações na web.

E logo descobrimos o site do Instituto Estrada Real e uma interessante estrutura para atrair e atender turistas nas cidades que são cortadas pela estrada oficial utilizada pelos portugueses na época do Brasil Colonial.

Não só há Centros de Informação Turística em todas as cidades da Estrada Real, como você pode se cadastrar no site para retirar um Passaporte da Estrada Real em qualquer um desses centros e carimbá-lo em todas as cidades. Ao preencher o documento com todos os carimbos, você pode trocar por Certificados e brindes. Além disso, eles distribuem gratuitamente um mapa detalhado para te ajudar a definir o roteiro de sua viagem pela Estrada Real. Muito bacana e atrativo para quem está em constante busca por temas de viagens e aventuras!

estradareal1

A Estrada Real possui mais de 1.630 quilômetros de extensão, cortando Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Sua história surge em meados do século 17, quando a Coroa Portuguesa decidiu oficializar os caminhos para o trânsito de ouro e diamantes de Minas Gerais até os portos do Rio de Janeiro. 

Ela é composta por 4 caminhos distintos, que contam a História do descobrimento do Brasil e da exploração das terras tupiniquins: Caminho Velho, Caminho Novo, Caminho dos Diamantes e Caminho Sabarabuçu.

Caminho Velho – também chamado de Caminho do Ouro, foi o primeiro percurso determinado por Portugal para ligar Ouro Preto a Paraty e transportar principalmente ouro e escravos.

Caminho Novo – criado para ligar a região de Ouro Preto diretamente ao Rio de Janeiro, já que o trajeto Paraty – Rio estava sendo ameaçado pelos constantes ataques piratas.

MapaHi

Caminho dos Diamantes – criado para ligar Ouro Preto à principal cidade de exploração de diamantes, Diamantina, no norte de Minas.

Caminho Sabarabuçu – trajeto dentro do distrito de Ouro Preto

…….

Nós decidimos subir de São Thomé das Letras até Ouro Preto e de lá, descer para Paraty. Então, durante o roteiro, paramos alguns dias nas cidades de Carrancas, São João del Rei, Tiradentes, Ouro Preto, Congonhas, Passa Quatro, Cunha e Paraty. A região é montanhosa, as paisagens são incríveis e muitas das cidades possuem cachoeiras encantadoras pra visitar. E o final do Caminho Velho, Paraty… suas praias dispensam comentários!!

Uma delícia de viagem por cidades aconchegantes, com gente receptiva, culinária deliciosa e a preço justo, construções e monumentos antigos e cheios de história. A maioria das cidades possui boa estrutura de hospedagem para todos os bolsos e, para nós os mochileiros low budget, há bons hostels, campings e, em alguns casos, conseguimos até fazer camping selvagem perto de cachoeiras.

Toda a rota do Caminho Velho é demarcada pelos totens da Estrada Real que são fáceis de identificar e estão instalados a cada 2 km. As estradas são estreitas e há trechos bens ruins, de terra ou de asfalto esburacado. É preciso ter cuidado e atenção redobrados nesses pedaços da estrada. Porém, há outros trechos em estradas lisas, reformadas e deliciosas de percorrer.

estradareal2

Como não é possível prever qual pedaço será bom e qual será perigoso, recomendamos que você faça toda a viagem durante o dia, por mais que goste de dirigir a noite. Além de ser muito mais seguro, você ainda será agraciado pelo visual maravilhoso pela janela, que é comum a todos os trechos, independente da qualidade da estrada.

estradareal4

Especialmente o trajeto que liga Cunha a Paraty por dentro do Parque Nacional da Serra da Bocaina é de deixar os viajantes sem ar! Todo o caminho está reformado e a estrada corta a natureza exuberante, enquanto vemos o mar azul de Paraty se aproximar mais e mais. Coisa linda!

Nos encantamos tanto com cada cidade visitada e com a proposta da Estrada Real, que certamente vamos percorrer os outros Caminhos, colecionar nossos carimbos no passaporte e acumular ainda mais experiências incríveis no currículo da vida.

Recomendamos que você faça o mesmo! Arrume as malas e boa viagem! 🙂

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como fazer a Trans Siberiana

Manual completo para viajar de navio de carga

Como chegar a Machu Picchu

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*