Como chegar a Machu Picchu

Data: 2 maio, 2017

Categoria: Mochilão

Certamente, esse é um dos assuntos mais procurados no blog e um dos destinos que mais intriga as pessoas.

Somos frequentemente questionados sobre como foi nossa experiência, como chegamos até a Cidade Perdida dos Incas e o que sentimos no antes, durante e depois da visita.

Por isso, reunimos aqui as informações mais importantes e práticas para você saber como chegar a Machu Picchu e qual das opções existentes se encaixa mais ao seu perfil.

Basicamente, para você conseguir chegar próximo dessa maravilha construída no século XV, você precisa chegar a Águas Calientes.

E para chegar a essa cidadezinha localizada em meio ao mar de montanhas que esconde Machu Picchu, você possui 3 opções:

1- Ir a pé – Trilhas Inca ou Salkantay

2- Ir de van/carro até a Hidroelétrica, e depois a pé

3- Ir de trem

Depois de chegar a Águas Calientes, você terá que escolher entre duas opções para chegar à Cidade Perdida, de fato:

1- Ir a pé, subindo os matadores mais de 1.700 degraus até a entrada da cidade

2- Ir de ônibus até a entrada da cidade

Cada uma dessas alternativas têm seus pontos fortes e fracos. E cada uma delas é mais indicada, de acordo com seu condicionamento físico, tempo disponível, paixão por aventuras e orçamento.

Qualquer que seja a sua escolha, não se preocupe em fechar com muita antecedência ou com agências de viagens da sua cidade. Afinal, o centro da cidade de Cusco (principal saída para Machu Picchu) está lotada de opções de agências para você pechinchar o preço.

Na Plaza das Armas e redondezas você encontra dezenas de agências de turismo!

Essa regra só não cabe para o agendamento da trilha Inca, que precisa de pelo menos 5 meses de antecedência.

Vamos lá!

Opção 1 – Ir a pé

A forma mais roots de chegar a Machu Picchu é caminhando ou pedalando pelas trilhas que rendem visuais espetaculares e experiências transcendentais.

Trilhas Inca e Salkantay – pacotes turísticos

A trilha Inca (4 dias e 3 noites) precisa de agendamento prévio com mais de 5 meses de antecedência e os pacotes turísticos custam a partir de 400 dólares por pessoa.

Já a trilha Salkantay (5 dias e 4 noites) pode ser feita sem agendamento prévio. As agências vendem pacotes turísticos que incluem transporte de van até o começo da trilha, guias, cavalos que sobem com suas mochilas (o que eu, particularmente, acho uma sacanagem enorme com os bichos), refeições, balões de oxigênio e equipamentos de camping para frio extremo.

Os preços começam em 200 dólares e podem chegar até 500 dólares por pessoa (maio de 2016).

Sem sombra de dúvida é o jeito mais interessante de chegar lá, mas você PRECISA ter condicionamento físico para isso, pois a altitude é implacável.

Trilha Salkantay sem pacote turístico

Se você tiver condicionamento físico e também uma boa dose de coragem, experiência em navegação por GPS e equipamentos adequados, você pode fazer a trilha Salkantay por conta própria, sem pacote turístico.

Você precisa sair de Cusco e chegar a Mollepata. Há diversas vans que fazer esse trajeto por 20 soles e saem a partir das 5h da manhã de alguns pontos da cidade. Informe-se no seu hostel / hotel sobre a rua mais próxima de você. (perto do Mercado San Pedro há um ponto!)

São cerca de 4 horas de viagem até Mollepata e de lá, você seguirá a pé, pela trilha que é sinalizada e terá cerca de 40 km a partir dali.

Opção 2 – Ir de carro/van até a Hidroelétrica

Essa é, certamente, a opção mais barata para chegar a Machu Picchu, depois da trilha por conta própria.

Então, se além de não estar fisicamente pronto para enfrentar 5 dias de grande esforço físico em um ambiente hostil (muita subida, pouco oxigênio e noites geladas), você também tem baixo orçamento, sua melhor opção é ir de van até a Hidroelétrica e de lá, seguir os 11km de trilha plana a pé.

O problema é que você terá que vencer o mar de montanhas através das terríveis estradas que ligam Cusco à Hidroelétrica.

O percurso sofrível tem 225km de distância, é percorrido em 6h30, sendo que boa parte delas em uma estrada caindo aos pedaços, pura pedra, poeira e precipícios.

No centro de Cusco você encontrará inúmeras opções de agências que prestam esse serviço. Por cerca de 75 soles (80 reais), a van te buscará no hostel, deixará na Hidroelétrica e te buscará lá depois de 1 ou 2 dias, dependendo do pacote que você fechar.

A partir dali, você pode pegar o trem e desembolsar 25 dólares pra ir até Águas Calientes, ou você pode ir a pé, por uma trilha de 11km incrível, plana, fácil de fazer e incrivelmente bonita.

Já que você sofreu tanto para chegar até a Hidroelétrica, aproveite para viver a experiência da trilha que segue o trilho do trem. Nós recomendamos!

Opção 3 – Ir de trem até Águas Calientes

De todas as opções, essa é certamente a mais confortável , mais rápida e das mais caras também.

Afinal, é o único jeito de ir direto de Cusco até a cidade mais próxima da entrada do Parque Nacional de Machu Picchu.

O trem sai de Poroy, que fica a cerca de 25 minutos de Cusco, a viagem tem cerca de 3 horas e meia de duração e o preço é bem salgadinho: a partir de 160 dólares o trajeto de ida e volta (100 dólares a ida e 60 dólares a volta).

Somado ao preço do trem, está o valor do táxi para te levar de Cusco até Poroy, que não sairá por menos de 100 soles.

Se você guardou uma graninha para fazer essa viagem da forma mais confortável possível, vai nessa opção sem medo!

De Águas Calientes a Machu Picchu

Seja qual foi a forma que você chegou a Águas Calientes, você vai se deparar com uma cidadezinha de, basicamente, uma única rua principal, uma praça, mas muitos restaurantes, bares, hostels e hotéis.

Tudo perfeito para os turistas gastarem montes e montes de dinheiro!

E não tem muito como fugir dos altos preços das hospedagens, afinal você chegará a Águas Calientes louco para tomar um bom banho, se alimentar bem e se preparar para acordar muito cedo no dia seguinte, para subir a Machu Picchu.

Se decidir subir e descer a pé, vai economizar 16 dólares e sofrer horrores nos mais de 1.700 degraus em altitude matadora que acaba com o seu ar (mas é uma experiência e tanto! Nós encaramos e registramos tudo, olha só!).

Seja lá qual for sua decisão, acorde muito cedo para ser um dos primeiros da fila do ônibus (início às 5h30) ou da trilha (início às 5h) e garantir os melhores visuais com o Parque ainda vazio.

E não se esqueça: ticket antecipado e carimbo no passaporte

Você deve comprar o ticket antecipadamente e a melhor pedida (a mais barata, leia-se) é ir até o Ministério da Cultura, que fica a duas quadras da principal praça da cidade (de las Armas), e comprar os ingressos sem a taxa que as agências de turismo imbutirão no preço.

O valor por pessoa começa em 126 soles (algo em torno de 130 reais, em maio de 2016) para acesso apenas a Machu Picchu. Se quiser subir nas montanhas ao redor, como a Huayna Picchu, o preço sobe para 150 soles.

Estudantes, idosos e comunidade andina (Bolívia, Colômbia, Equador e Peru) possuem desconto na compra dos ingressos.

Ao sair do Parque, não se esqueça de carimbar o seu passaporte com o carimbo oficial de Machu Picchu! Essa é uma lembrança e tanto para levar para casa.

Agora você está pronto para ir! Prepare o mochilão e boa viagem!

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como fazer a Trans Siberiana

Manual completo para viajar de navio de carga

Como chegar a Machu Picchu

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*