Como levar armas de fogo no barco

Data: 13 março, 2017

Categoria: Barcos

Quem acompanha o blog sabe que estamos planejando nossa próxima volta ao mundo, agora seguindo por mar. O problema dessa jornada são alguns pontos com ocorrências de pirataria, principalmente no mar da China, África oriental e Mar vermelho.

Será que não vale levar uma arma nesta jornada?

Não existe um consenso entre os navegadores. Os europeus preferem não carregar armas enquanto os Norte Americanos não veem problema nenhum nisso. Lembrando que as leis de porte de armas mudam muito de acordo com a jurisdição do país onde você está.

Aqui no Brasil as leis são as mesmas no mar e em terra. Se a Marinha te pegar armado e sem porte, pode contar com prisão e problemas judiciais. Muitos preferem ocultar a arma e não declarar ela nas inspeções, é um risco grande que eu mesmo prefiro não correr.

Mas e nas travessias internacionais?

Muitos países retém a sua arma no porto, te possibilitando visitar o país e retirar a arma na saída. O problema é que você terá que voltar ao porto de entrada para retirar a sua arma, além de não poder contar com ela no momento de maior risco para uma embarcação: Quando ela está ancorada.

Espingardas são permitidas dentro dos barcos desde que guardadas dentro de um armário de segurança. Alguns países lacram esse armário para você não utilizar a arma dentro da jurisdição deles.

A questão é: As leis são diferentes de país para país e se você planeja ir armado, pesquise detalhadamente a burocracia envolvida. As leis podem ser diferentes, mas as penalidades para armas não declaradas são geralmente as mesmas, prisão pesada.

Cuidado com a escalada na violência.

Você precisa pensar racionalmente, contra quem você quer se defender? Não adianta estar armado em uma situação onde você está em desvantagem de pessoas e de fogo. Será que levar um revólver calibre 38 será efetivo contra piratas portando metralhadoras automáticas?

Tirando os EUA, onde você pode comprar e portar uma metralhadora M16 e lutar de igual contra uma tripulação inteira de piratas, no resto do mundo não temos acesso legal a armas de guerra.

O navegador Peter Blake foi morto aqui no Amazonas ao confrontar bandidos portando uma arma. Será que o resultado seria o mesmo se ele tivesse avaliado os riscos de tentar resistir?

Entenda bem, não é uma questão de ter a arma ou não. Claro que ficar com a vida na mão desses vagabundos não é fácil, mas se você optou pela arma, garanta que você sabe usar, tem treinamento adequado e não vai vacilar na hora de apertar o gatilho.

Considere outros métodos de defesa

Se você optou por não carregar armas de fogo, não precisa estar 100% vulnerável devido a isso. Um pequeno machado, spray de pimenta, soco inglês ou outros instrumentos de defesa podem te proteger daquele ladrãozinho de ocasião.

Um veleiro escapou dos piratas somalis jogando um coquetel molotov no barco dos agressores. Outro repeliu um invasor com um piolet, aquela machadinha de escalada.

Uma forma bem efetiva é pedir socorro no rádio VHF, em alguns locais o suporte militar é rápido. Sempre tenha os canais das guardas costeiras dos países próximos, não vacile com a sua segurança.

Detecte o perigo

Já escrevi aqui um artigo sobre os perigos da pirataria. Um grande risco para nós aventureiros são os piratas de ocasião. Eles te veem dando bandeira e pegam um barquinho qualquer e vão te assaltar.

Não arrisque, se está em uma situação vulnerável, opte por ficar fora da vista, fique distante da costa e mantenha os olhos sempre abertos no horizonte.

E você, prefere navegar armado ou não?? Comente.

3 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Quanto custa morar em um barco

Como construir seu barco

Melhores barcos para morar

Como usar o sextante

3 comentários
  1. Tiago Responder
    14 de março de 2017

    Armado, sempre! Governos tendem a desarmar a população de bem e, em contrapartida, não fazem nada com relação aos criminosos em geral. Mesmo as forças de segurança sendo atuantes, o que é difícil acontecer, eles vão estar agindo depois da ação e não no instante preciso em que ela ocorre.

  2. Eloy Labatut de Oliveira Responder
    25 de julho de 2017

    Essa legislação de espingarda vale aqui no Brasil? Qual artigo de qual lei diz isso?

    Pretendo velejar a costa do Brasil, e infelizmente é melhor ter e não precisar do que precisar e não ter.

    1. Will Gittens Responder
      13 de agosto de 2017

      Olá Eloy, aqui no Brasil a história é diferente. Como eu disse, isso varia muito de país para país. No caso você precisaria de um porte emitido pela Polícia Federal e é um processo burocrático e complicado. A melhor coisa é velejar bem longe da costa e se aproximar somente em locais conhecidos como seguros. Lembre-se que na pior das hipóteses você pode contar com arpão, spray de pimenta e outras formas de defesa. Abraço e boa sorte!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*