Holanda, Bélgica e França – Percursos de trem, ônibus e muitas dicas

Data: 24 fevereiro, 2016

Categoria: Mochilão

Nós acompanhamos alguns blogs de viajantes que estão em sua primeira, segunda ou terceira volta ao mundo. Alguns deles têm percorrido esse mundão de carro, outros correm atrás das promoções e milhas de companhias aéreas para voar de um país a outro por pechinchas, e nós vamos percorrer grande parte do mundo por terra: seja de trem ou ônibus.

E porquê isso? Primeiro, por ser um objetivo interessante: atravessar o globo pela superfície, vendo as paisagens mudarem de acordo com o país em que estamos; Segundo, porque na maioria das vezes é mais barato que o avião; Terceiro, porque compramos há bastante tempo um Eurail Global Pass, que nos permite atravessar 28 países na Europa com apenas um passe; Quarto, porque sonhamos em fazer a trans siberiana, rota de trem que sai da Rússia e vai até a Mongólia e depois, China.

Pois bem! Nessa brincadeira que já dura mais de um mês para mim e dois meses para o Will, já pegamos uma grande quantidade de trens e ônibus, de todo o tipo e qualidade, e estamos anotando todos eles, para conseguirmos contabilizar os km rodados, para não corrermos o risco de esquecer algum dos trechos que fizemos e, principalmente, para poder compartilhar com vocês dicas e curiosidades dessa aventura!

Prontos?! Vamos embarcar!

Holanda

De Amsterdam para Eindhoven: para chegarmos à cidadezinha onde trabalhamos na fazenda durante uma semana, saímos da Centraal Amsterdam em um trem comum, na 2a classe, em uma viagem que durou 2 horas. Como ainda não havíamos ativado nosso Eurail Pass, pagamos cerca de 25 euros por pessoa no trecho.

A Centraal Amsterdam é bem grande, mas é fácil encontrar informações dos trens nas telas de TV ou painéis que descrevem todas as linhas e horários que partem e chegam lá. Com a informação que você precisa a respeito do itinerário e número do trem, basta comprar a passagem nas máquinas ou guichês. Simples e indolor.

Em Eindhoven, lá estavam nossos anfitriões do Workaway nos esperando, para seguirmos de carro mais 1 hora em uma estrada incrível lisa e enorme, para chegarmos a Eshcaren.

Bélgica

Acabando nosso período na fazenda, saímos de Eshcaren de carona e fomos até uma pequena cidade da Bélgica (que agora não me lembro o nome, mas buscarei nos meus tickets para atualizar o post), de onde pegamos um trem para Bruxelas por 7 euros por pessoa (pechincha!) em uma viagem de cerca de 1 hora e meia.

trem belgica

Compramos o ticket na máquina, pois não havia uma alma viva na estação. (todas as máquinas na Holanda e Bélgica têm a opção do inglês… uff!)

Em Bruxelas, conhecemos o Tiago, brasileiro que estava estudando em Grenoble, na França, e nos deu muitas dicas para economizarmos no transporte dentro da Europa. A mais valiosa das dicas foi o site Goeuro, que compara preços entre trem, avião, ônibus e carona (!!) para trechos entre cidades e países.

O site Bla bla Car funciona da seguinte forma: pessoas que vão viajar de carro entre cidades e países cadastram o roteiro no site e estipulam um preço para a carona. Normalmente é super barato, mas para quem está viajando com muita bagagem (como nós, com nossos mochilões), é mais difícil conseguir a carona. Ficamos sabendo que o site já tá rolando no Brasil também… se alguém já usou, nos conte a experiência nos comentários do blog! 😉

Para ir de Bruxelas a Paris, utilizamos o Goeuro e compramos passagens de ônibus 7 vezes mais baratas que as de trem! Compramos online os tickets da empresa Flixbus por 12 euros cada e baixamos o aplicativo para apresentar o comprovante no momento do embarque. Super simples!

O ônibus saiu da Gare Nord de Bruxelas e parou em Paris na estação Port Marriot, uma espécie de terminal de ônibus ligado a uma estação de metrô. O ônibus possuía wi-fi e a viagem durou 3 confortáveis horas.

França

De Paris para Grenoble, mais uma vez usamos o Goeuro.com. Compramos passagens de ônibus da empresa Ouibus por 25 euros cada e recebemos por e-mail as confirmações que deveriam ser apresentadas no momento do embarque. Mais uma vez, não era necessário imprimir nada!

Para facilitar a vida (rs), o ônibus saía de outro terminal, agora da Bercy Station. Então, pesquisamos previamente o percurso entre a estação de metrô em que se encontrava nosso hostel e o terminal de ônibus, para não passarmos apuros.

Essa era uma viagem mais longa, de quase 6 horas de duração, então tivemos uma parada para lanche no meio do caminho. Dessa vez, o prometido wifi do busão não funcionava e o negócio foi dormir bastante!

Depois de curtir a fofa cidade de Grenoble por dois dias, passamos diversas horas a noite buscando a melhor forma de sair de lá e iniciar nossa jornada pela Itália. Pesquisas no Goeuro.com, pesquisas no site da Eurail, e apesar de estarmos bem próximos da fronteira com a Itália, tudo parecia complicado e caro.

Decidimos, então, ir até Genebra (Suíça) de trem, pois a passagem não era tão cara (24 euros por pessoa) e de lá decidir como chegaríamos em Roma. Para garantir nossos assentos, fui até a estação de trem e comprei as passagens antecipadamente. A viagem durou cerca de 3 horas até Genebra.

Em Genebra, fomos até os guichês de atendimento das companhias de trem para tentar descobrir se valeria a pena já ativar nosso Eurail (que, a partir da ativação, valeria por 21 dias consecutivos em grande parte do território europeu).

itinerarios4

E descobrimos que sim! Aquela era a hora exata, já que um bilhete comum de Genebra a Roma nos custaria 190 euros por pessoa (aaff), enquanto a reserva necessária naquele mesmo trem, utilizando o Eurail, nos custaria 20 euros por pessoa. Sem pestanejar, ativamos o passe! 😛

Aqui vale um parênteses: O Eurail é uma ótima opção, muito prática e te possibilitará fazer diversos trechos sem pagar nadinha. Eles possuem um aplicativo que te indica os melhores trens para chegar onde precisa sem ter que pagar taxas adicionais. Porém, há alguns trechos (principalmente em trens ultra-rápidos) que é necessário pagar taxas de reserva, que variam de 5 a 24 euros por pessoa. A única regra de ouro é: tenha sempre o seu Eurail Pass em mãos quando o fiscal pedir o ticket do trem. 😉

Colocando na ponta do lápis os diversos trechos que já fizemos sem reserva, para nós já valeu a pena! Outro benefício interessante é que o Eurail só é vendido no Brasil com a opção 1a classe, então tivemos algumas regalias bacanas nos percursos.

No próximo post, vamos detalhar os percursos dentro da Itália e Croácia, e trazer mais dicas para vocês, viajantes. Fiquem ligados! 🙂

2 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como fazer a Trans Siberiana

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Manual completo para viajar de navio de carga

Como chegar a Machu Picchu

2 comentários
  1. Jose Rivair Responder
    15 de setembro de 2016

    DICAS VALIOSAS PARA INICIANTES OU VEZEIROS; SEMPRE SE AGREGA INFORMAÇÃO.

    1. Fefa Trindade Responder
      16 de setembro de 2016

      Obrigada pelo comentário, Jose!! Volte sempre e se tiver dúvidas, nos escreva!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*