A melhor e a pior estrada da volta ao mundo

Data: 26 julho, 2016

Categoria: Mochilão

A nossa viagem de volta ao mundo foi feita quase que totalmente por superfície. Muitos milhares de kilometros foram rodados em trens, ônibus, carros e até navio cargueiro! Nós vimos e utilizamos todo tipo de transporte, de diversos níveis de qualidade tanto dos veículos, quanto das estradas.

Como o foco era sempre economizar o máximo possível, porém sem entrar em enrascadas muito grandes, nós acumulamos experiência suficiente pra saber onde vale a pena gastar menos e viajar pelos meios mais baratos e em quais países devemos evitar a economia, gastar um pouco mais e viajar de forma bem mais segura.

Melhor estrada

Na Europa, os trens são sempre uma excelente pedida, já que são seguros tanto no quesito qualidade dos carros e das linhas férreas, quanto em relação ao perfil dos passageiros. Porém, o preço das passagens pode ser salgado demais para quem está viajando com baixo orçamento.

Então, sua melhor opção é viajar de ônibus! As passagens são esmagadoramente mais baratas que as de trem e a qualidade das estradas é altíssima. Em continente europeu, optamos pelos ônibus em diversos trechos na Bélgica, França, Áustria, Alemanha e Leste Europeu.

E foi no trecho de Veneza, na Itália, para Villach, na Áustria, que nos deparamos com as estradas mais incríveis de toda a trip! Pistas largas e lisas, média de 3 faixas para cada mão, curvas suaves e com inclinação perfeita. O percurso de cerca de 250km foi feito em pouco mais de 3 horas. E mesmo considerando os incontáveis alpes pelo caminho, o percurso foi feito quase todo em linha reta devido aos tantos túneis (enormes e silenciosos) que cortavam as montanhas.

estradas3

A viagem foi super confortável, com pouquíssimo balanço e visuais incríveis pela janela. Por isso, nós recomendamos muito que você pesquise bastante suas opções de transportes dentro da Europa, levando sempre em conta o custo benefício e o tempo de viagem.

Pior estrada

Já a pior estrada de toda a volta ao mundo (e uma das piores do mundo!) também está intimamente ligada com a enorme quantidade de montanhas em seu caminho. Porém, no caso do trajeto que liga Cusco à Hidroelétrica perto de Águas Calientes, não há um túnel sequer.

estradas1

Isso mesmo. Todas as enormes montanhas dos Andes são contornadas. Curvas, curvas, curvas e mais curvas beirando precipícios de tirar o ar. E a péssima qualidade das estradas completa o pacote do terror: são 225 kilometros rodados em cerca de 6h30 de pura preocupação.

A pista possui espaço pra passar apenas um carro, as curvas são muito fechadas e não há acostamento decente. Então, a cada curva, os motoristas de ambos os lados têm que buzinar para avisar que estão se aproximando da curva para, assim, evitar acidentes. É mole?!

Apesar de os visuais pela janela serem também incríveis, o medo que se passa nesse trajeto nos faz prestar quase nenhuma atenção na beleza das paisagens pra manter os olhos grudados na estrada e no motorista. É perigoso e aflitivo mesmo, de verdade.

precipício bonito e sem acostamento!

precipício bonito e sem acostamento!

Chegamos esgotados à Hidroelétrica , depois de muitas horas de balanço nas curvas da estrada de terra e pedra, e ainda é preciso encarar a trilha de 11km que é, certamente, a parte bacana e encantadora dessa aventura!

Então, recomendamos que você guarde mais dinheiro enquanto estiver planejando sua trip para Machu Picchu e vá de trem desde uma cidade vizinha a Cusco até Águas Calientes. O preço é bem mais alto, mas a segurança e o conforto serão infinitamente maiores.
….
Encaramos ainda estradas bem ruins (e bem boas) na China, motoristas loucos na Tailândia e no Vietnam e estradas precárias na Bolívia, mas nenhuma delas nos deu tanto frio na barriga como o trecho no Peru… por enquanto! 🙂

Certamente ainda vamos encarar todo tipo de estrada em nosso caminho de aventureiros. Haja coragem e proteção divina!

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como fazer a Trans Siberiana

Como chegar a Machu Picchu

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Manual completo para viajar de navio de carga

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*