Onde morar durante o intercâmbio

Data: 17 junho, 2017

Categoria: Sonhos

Eu prometi para a equipe do blog Trabalhe seu Sonho que escreveria um post por semana sobre minha experiência de realizar o sonho de morar na Austrália durante um intercâmbio.

Mas a vida social aqui é tão intensa que fico um certo tempo sem aparecer para contar minhas aventuras! 🙂

Hoje vou compartilhar com vocês uma experiência importante e difícil: encontrar uma casa para morar após o primeiro mês hospedada nas residências estudantis.

É bom entender isso: quando você iniciar suas pesquisas para fazer um intercâmbio na Austrália, encontrará basicamente 3 opções de moradia (mais em conta que hotéis e hostels) durante o período do seu curso:

A acomodação estudantil e a casa de família são direcionadas para os intercambistas menores de idade e também para o primeiro mês de todos os estudantes, para poder se ambientar à nova casa/ cidade/ país.

Quando fechei meu intercâmbio através da agência, decidi contratar somente para o primeiro mês a acomodação estudantil, por orientação da própria agência. Disseram que para os outros meses o ideal, para o meu perfil, seria procurar um dos vários apartamentos compartilhados com os inúmeros estudantes na cidade.

Acomodação estudantil em Brisbane

A acomodação da Shafston foi excelente. Fiquei num ótimo apartamento, super perto da escola. Tão perto que dava para almoçar em casa no intervalo de 1 hora de almoço.

Dividi o quarto com uma mineira queridíssima e no outro quarto do ap, 2 colombianos super bonzinhos também. O problema era o valor semanal bem acima da média dos apartamentos compartilhados na região.

Ainda no Brasil, depois de ter fechado a acomodação, entrei em uma das comunidades no facebook de brasileiros vivendo em Brisbane, e comecei a dar uma olhada nos valores de apartamentos e casas compartilhadas que a galera divulga por lá.

Se eu tivesse entrado antes nessa comunidade, provavelmente teria fechado menos de 1 mês na acomodação estudantil.

Esta é então a dica mais importante deste post: antes de fechar com a agência, dê uma pesquisada nas comunidades do Facebook, porque dá pra fazer bons negócios por lá!

É importante sair do Brasil com algo já contratado e eu recomendo que você fique pelo menos 1 semana na acomodação estudantil para se ambientar. Dá pra economizar uma boa graninha com essa escolha!

Escolhendo o novo lar em Brisbane

Eu tinha na minha cabeça alguns critérios:

Pronto. “Só” isso! Hahahaha! Porém durante as procuras, fui vendo que o negócio não era tão simples assim e fui eliminando alguns (vários) dos critérios iniciais…! 🙂

Da acomodação estudantil para a casa “própria”

Período tenso! Tem muita oferta de apartamentos e casas compartilhadas por aqui, mas também muita procura!

Várias vezes tinha gostado pra caramba de algum lugar e quando entrava em contato com o responsável, o lugar já tinha sido ocupado.

Normalmente, as pessoas aqui fazem essa busca em dupla: casal ou amigos(as) que vieram juntos ou se conheceram aqui. Isso facilita a vida, pois é mais fácil vagar um quarto inteiro do que apenas uma vaga (uma cama) num quarto compartilhado. Além disso, você já sabe com quem vai dividir o quarto.

Eu acabei “sobrando” porque minha querida roommate mineira conseguiu logo fechar um quarto com uma colega de classe. Tive então que iniciar minha saga sozinha.

Comecei a procurar com 2 semanas e meia de antecedência a data da minha saída da acomodação estudantil e acho que é um bom período para iniciar essa busca.

Visitei muitos lugares diferentes, uns lindos, outros horríveis. Vi de tudo, para todos os gostos e bolsos!

Depois de conversar com algumas meninas, encontrei minha nova roommate: uma chilena super gente boa, mais velha (tipo, na minha faixa etária, hehe), dentista e com um inglês super bom.

As coisas foram desenrolando, e acabei encontrando meu novo lar com a ajuda de uma colega de classe que me avisou que um dos quartos na casa onde ela morava iria vagar.

Motivos para escolher (e amar) a casa nova

Hoje já estou há 3 semanas no meu novo lar, me sentindo totalmente em casa.

A casa é grande, ampla, nova, super bacana e há uns 600m da escola! Continuo economizando com transporte, mas tenho que levar minha marmitinha, porque não dá tempo de almoçar em casa.

Em frente a casa tem um parque grande maravilhoso, e com uma quadra de basquete, o que me fez muito feliz e substituiu com louvor minha vontade de ter uma piscina aquecida.

São 4 quartos na casa, com 8 pessoas no total. Em um dos quartos moram 2 meninas inglesas que infelizmente não são muito sociáveis.

No outro, 1 brasileiro e 1 chileno gente finíssima com quem pratico bastante meu english.

E no outro quarto 2 brasileiras queridas, colegas de escola e companheiras de baladinhas, festas e afins! Rs!

Minha roommate chilena ainda não chegou na casa, então estou aproveitando meu delicioso período de single room!

No fundo da casa temos um mega jardim, perfeito pra fazer um super churras, e que até então, felizmente, não me proporcionou encontros inesperados com os bichinhos esquisitos daqui! Hehehe!

No fim das contas, meu novo lar não tem quase nenhum dos critérios que havia definido no início, mas logo que entrei aqui, me senti em casa.

E acho que isso é o que realmente importa, não é?! 😉

 

Renata Monteiro é paulistana, enfermeira especializada em Promoção da Saúde, apaixonada por viajar e possuidora de um bom currículo de lugares visitados no Brasil e no mundo. Irmã da Fefa Trindade, uma das fundadoras do blog Trabalhe seu Sonho, decidiu colocar um antigo sonho em prática e se mudar para a Austrália para um intercâmbio de – no mínimo – 7 meses, iniciado no fim de Abril de 2017. Você acompanha a saga dela aqui no blog

2 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Itália e Croácia – Trechos de trem, ônibus e muitas dicas

Quanto custa morar em um barco

Como morar em um trailer

Guloseimas para comer na fogueira

2 comentários
  1. 19 de junho de 2017

    Rê, que bom que achou um lugar para chamar de seu mesmo que temporariamente. E os critérios de seleção sempre acabam sendo adaptados a necessidades q acabamos descobrindo serem mais importantes do que os desejos iniciais.. e a vida segue e segue bem e feliz!
    Fico aqui na torcida e de vez em quando dando uma bisbilhotada nos posts
    Bjs
    Ruthinha

  2. 19 de junho de 2017

    Rê, adorei as dicas pra quem está a fim de intercâmbio!! Parabéns!! Divirta-se e pratique o English!!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*