Rumo a próxima volta ao mundo

Data: 31 Maio, 2017

Categoria: Aventuras

Planejar uma volta ao mundo não é brincadeira, na que fizemos por terra foi quase um ano de organização e durante a viagem tive problemas que jogaram semanas de planejamento no lixo.

Um caso que deu bastante trabalho foi a travessia da Croácia para a Hungria, pegamos bem o ápice da crise com os refugiados e simplesmente não conseguimos cruzar a fronteira por terra. Tivemos que reorganizar um bom trajeto da viagem alí sentado na estação de trem, em uma temperatura abaixo de 0.

Para não correr o risco de um problema desses com o veleiro, estou levando o planejamento dessa trip como uma viagem para Marte. Dividi o planejamento em 5 partes:

1. Rota
2. Dinheiro
3. Conhecimento
4. Burocracia
5. Sustento

Em um projeto grande como uma volta ao mundo, se você não dividir o projeto em pequenas fases, vai acabar achando tudo muito complicado e desistir do seu sonho. Veja como estou planejando.

1. Rota

Costumo dizer que essa é a parte divertida do planejamento, é somente sonhar e lembrar dos lugares que você sempre quis conhecer. Não adianta, tudo começa com você parando para pensar no seu sonho e objetivo. Desenhe sua rota, olhe foto dos lugares e comece a desbravar desde já. Olhe só como está a minha rota até o momento:

2. Dinheiro

Uma vez que você definiu sua rota, comece a planejar a grana. No meu caso tem o dinheiro do veleiro e da sobrevivência diária. Hoje, esse é o único fator que gera stress, pois a situação não poderia ser mais clara: Sem dinheiro, sem viagem. A parte boa é que não sonho com um super veleiro de 50 pés, estou planejando ir com um de até 23 pés e não vou mudar de idéia sobre isso.

Uma vez que a rota está pronta, por experiência própria, comece descobrindo o quanto vai gastar para comer em cada lugar. Mesmo pagando em Euro, alguns lugares da Europa são muito mais baratos que outros. A regra vale para o resto do mundo, um bom indicador de quanto vai gastar no local é ver quanto custa um lanche no McDonald’s ( ou outra rede internacional ). Se você não consegue viver nem comendo hambúrguer, a coisa vai ficar feia.

3. Conhecimento

Essa é a parte que estou focado no momento, batalhando para tirar a licença de Capitão-amador pela Marinha e fazendo cursos de vela oceânica. A meta é tirar essa licença ainda esse ano, realizando a prova em Outubro. Não consigo me imaginar saindo por aí velejando sozinho sem os conhecimentos necessários.

Um detalhe importante é PRATICAR. Dizem que para você ficar muito bom em algo é necessário gastar 1/3 do tempo com estudo e os outros 2/3 praticando. Toda oportunidade que eu posso, ou estou na água velejando ou estou na selva treinando minha mente para a vida desconfortável de um aventureiro.

E sinceramente, se esse é o seu sonho e você não respira esse assunto, não está inspirado a estudar, praticar e ler tudo que consegue, melhor reavaliar suas prioridades.

4. Burocracia

Essa parte é complicada e bem chata de fazer, porém, não é bom deixar para o final pois os prazos de consulados costumam ferrar com tudo. Eu planejo deixar pelo menos 8 meses destinados a resolver esse assunto.

Barcos e trailers envolvem outro tipo de documentação e obrigações que variam de país para país e um probleminha com um papel pode acabar com suas chances de visitar aquele local.

Meus amigos franceses que fizeram a travessia do Atlântico comigo no navio de carga, tiveram problema com a importação do trailer nos EUA e até as coisas se resolverem, tiveram que pagar 6.000 dólares de taxas pelo container ficar parado no porto. Quase acabou com a viagem deles. É esse tipo de situação que você precisa evitar em uma viagem de volta ao mundo e mais de 40 países visitados.

5. Sustento

Esse é o detalhe chave que não pensei na minha primeira volta ao mundo. Como manter-se viajando constantemente, sem precisar torrar todo o dinheiro que você juntou para a viagem. É isso que vai fazer a diferença entre uma viagem de 2 anos ou uma de 20 anos.

Ter um negócio aqui no Brasil? Fazer bicos utilizando o barco? Ter um negócio online? São tantas as possibilidades que se perder fica fácil.

Hoje dedicamos todas nossas esperanças aqui no Trabalhe Seu Sonho e ele não para de crescer. Acredito com toda a certeza do mundo que posso fazer do site nossa forma de sustento durante a viagem, mas isso requer tempo e muito trabalho – como quase tudo nessa vida.

Mas a pergunta fundamental é: Quando pretende partir?

Estou planejando estar com o barco na água pronto para partir no segundo semestre de 2019. Tenho cerca de 700 dias para colocar tudo isso que falei acima em prática e começar minha segunda volta ao mundo.

Um abraço e bons ventos!!

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Itália e Croácia – Trechos de trem, ônibus e muitas dicas

Como morar em um trailer

Quanto custa morar em um barco

Guloseimas para comer na fogueira

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*