Tailândia – mochilão em Koh Lanta

Data: 12 Maio, 2016

Categoria: Mochilão

Se você está organizando uma trip para a Tailândia, certamente já leu bastante sobre as várias ilhas ao sul do país e suas paisagens estarrecedoras. Com tempo e, principalmente, com grana, minha primeira sugestão é que você organize um belo roteiro e conheça a maioria delas.: Koh Tao, Koh Lanta, Koh Phi phi, Koh Lipe, Koh Rok… e mais um monte de “Koh” (que, óbvio, significa Ilha) de águas cristalinas e areia clara pra você contemplar!

lanta4

Porém, se você está viajando no esquema baixo orçamento, seu planejamento deve ser bem mais cuidadoso e com certeza será necessário priorizar alguns lugares e passeios. Afinal, ao contrário do que muito se diz por aí, o custo de vida para o turista brasileiro é sim baixo, mas não é assim tããaooo barato turistar na Tailândia. É claro que com bastante pesquisa e sem ostentação, trata-se de um dos países mais em conta de todo o nosso mochilão.

Agora… caso você possua renda em dólar, euro ou libra, a brincadeira fica bem mais barata mesmo e o país se torna mais ainda um paraíso! 🙂

Para se ter ideia de preços, em Koh Lanta, na baixa temporada (“Green season”, que vai de Maio a Outubro) um resort de frente para o mar, mais glamouroso e com várias estrelas, sairá algo em torno de 550 reais a diária (ou 5.000 baht tailandeses). Já um bangalô simples, a cerca de 10 minutos da praia, mas com ar condicionado e frigobar, como o que nós estamos, fica em torno de 50 reais por dia.

Os tours entre uma ilha e outra sairão em torno de 120 reais por pessoa. E somente o transporte de barco, cerca de 70 reais ida e volta.

Pois bem! Nossas pesquisas, a partir de Bangkok, tinham duas principais premissas:

– queríamos ficar o maior tempo possível em uma ilha de praias calmas, mais vazias, mar amigável para nadar, para podermos relaxar depois de 4 meses intensos de viagem;

– queríamos conhecer Koh Phi Phi, a ilha que abriga a famosa Maya Bay, praia que foi usada como “A Praia” no filme com Leonardo Di Caprio.

Como sabíamos que Koh Phi Phi está longe de ser uma opção de praias tranquilas e vazias, já que é point de badalação, praias lotadas, festas na piscina dos resorts durante o dia e festas na praia a noite, decidimos que faríamos apenas uma visita à Ilha para contemplá-la.

Além disso, se quiséssemos conhecer diversas ilhas, teríamos que, financeiramente, trocar diárias por locomoções de uma ilha a outra e encurtaríamos nosso tempo no sul da Tailândia.

Assim, juntando as variáveis e levando em conta o fôlego do nosso orçamento e as avaliações de outros viajantes, decidimos que Koh Lanta era a nossa ilha e ficaríamos nela por 14 dias ao invés de pular de uma ilha a outra e ficar somente 8 dias nas praias tailandesas!

A partir de Bangkok, a melhor forma de chegar nela é ir para Krabi (de avião ou de ônibus que, claro, foi a nossa opção por ser mais barato). E de lá, pegar um barco ou uma mini-van que atravessa o mar na balsa.

Depois de 2 horas de viagem de mini-van ou 3 horas de barco (vamos explicar esse itinerário com mais calma em outro post!), você chega num pedaço tranquilo do paraíso praiano. Hoje completamos 10 dias em Koh Lanta! Muito, muito descanso e contemplação da natureza é o que esse lugar tem para oferecer!

lanta11

Formada por um arquipélago de 52 ilhas entre as quais muitas são inabitadas, a principal delas é Koh Lanta Yai, que tem 30km de comprimento, 6km de largura e 11 lindas praias! Há acomodações, restaurantes e passeios para todos os perfis: resorts chiques, bangalôs simples, restaurantes com vista maravilhosa de praias desertas, comidas de rua, mergulho, aluguel de caiaque, stand up paddle, barcos long tail ou lanchas, trekking em elefantes, passeio a cavalo, show com cobras, festas em bares de frente para o mar.

Como não há transporte público na ilha, para conhecer todas as praias de sua extensão você precisará de algum meio de transporte, que pode ser o tuk tuk, táxi convencional ou – o que é mais comum por aqui – alugar uma motinho tipo scooter que é super fácil de dirigir, principalmente no trânsito realmente tranquilo e vazio de Koh Lanta.

lanta1

Enquanto procurávamos nossa hospedagem no Booking, encontramos a maravilhosa opção do Pitt Bungallow, com um dos melhores preços da ilha, nota alta recebida pelos viajantes e, o melhor, o aluguel da motinho + capacetes como cortesia ao reservar um quarto. Coisa linda! Desta forma, economizamos uma boa graninha que foi revertida em mais diárias em Koh Lanta! 🙂

Se você está organizando sua trip pela Tailândia, programou alguns dias em Koh Lanta e não faz questão de ficar hospedado de frente para o mar, o Pitt é sua melhor opção!

E se você tem pressa e não está na vibe de ficar descansando como nós, 5 dias na ilha são suficientes para conhecer todas as belezas que há por aqui. Inspire-se na breve avaliação que fizemos de todas as praias – seguindo a ordem de Norte a Sul – e boa viagem! 😉

Ban Saladan – é a praia onde está o pier, por onde você chegará ou partirá da ilha. Naturalmente, é super movimentada e não oferece condições de relaxamento e banho de mar.

Klong Dao – uma das últimas praias que visitamos, mas se tornou uma de nossas favoritas pelo mar maravilhosamente transparente, calmo e sem nenhuma pedra pra atrapalhar o mergulho, areia fofa, alguns poucos porém estilosos bares que aceitam cartão (milagre!!), como o delícia Black Coral, lugares para fazer massagem de frente para o mar, e uma localização maravilhosa para assistir ao pôr do sol! Não é totalmente deserta, já que possui alguns resorts de frente para o mar, mas agora em Maio ela está praticamente vazia!

lanta3

Phra Ae (Long Beach) – muitos bares, muitos resorts, mar incrivelmente transparente, mas com muitas pedras. Essa junção de fatores fez com que só visitássemos uma vez a praia, que é mais movimentada e não convida a um mergulho.

Klong Khong – outra praia com muitas pedras! É ótima para parar por um tempo e admirar o movimento das famílias de pescadores que sobem nas pedras para pegar mariscos ou pescar peixões lindos. Durante a noite, é nessa praia que se concentra a maioria das festas temáticas dos bares.

Klong Nin – areia fofa, água de um verde claro lindo e transparente, barzinhos estilosos que oferecem cadeira e guarda-sol. Essa praia é uma delícia para curtir durante um dia ensolarado ou para assistir ao pôr do sol. Não há resorts, mas várias opções de bangalôs fofos de frente para o mar. Apesar de vários trechos sem pedras que proporcionam um mergulho delicioso com mar calmo, é importante ficar atento nessa praia, para não se machucar em alguma pedra que está ali desavisada no raso! 😉

lanta8

Nui Beach – seguindo ao sul, essa praia fica bastante escondida e só pode ser acessada por uma trilha no meio do mato de cerca de 5 minutos. A trilha, em si, é um show a parte com macacos e lagartos, e a praia, uma maravilha!! Pequena, deserta, com pedras, mas também com áreas boas pra nadar. Há algumas tendas feitas de madeira e folhas que garantem a sombra, já que não existe nenhum bar na praia pra te salvar do calor extremo. Normalmente, o mar é calmo e como a água é transparente, é possível ver onde há pedras. Se o mar estiver agitado, não entre porque você corre o risco de se machucar. Por sorte, o Will fez um corte bem pequeno na perna que poderia ter sido bem pior!

lanta10

Kantiang Bay – uma praia pequena e abraçada por morros e floresta. Linda, mas devido a sua localização estratégica e sem pedras, é ponto de parada de muitos barcos de passeio. Então, não dá pra esperar muito sossego.

Nui Bay – bem mais ao sul do que a Nui Beach (não confunda!), essa praia também só pode ser acessada por uma trilha, mas pavimentada e bem mais tranquila. E essa sim é totalmente deserta! Nas duas vezes que fomos, éramos os únicos dois seres humanos lá! A natureza comanda o lugar, já que a praia está abraçada por morros e floresta. Durante nossas horas de curtição, recebemos a visita de esquilos, lagartos e pássaros, além de acompanharmos uma águia caçando um peixe e levando para o ninho! Uau!

lanta5

Klong Jark – também é conhecida como Waterfall Bay, pois a partir dela sai um passeio no elefante que leva os turistas para a única cachoeira da ilha. Infelizmente, a única forma que encontramos de chegar na cachoeira seria nas costas de um elefante e como somos contra essa atração turística que tortura os animais, não pudemos conhecê-la. A praia, em si, é linda, calma, com uma boa faixa de areia, mar transparente e pedras.

Bamboo Bay – penúltima praia da ilha e outra de nossas favoritas! O acesso a ela é difícil, pois é preciso deixar a moto longe e descer uma ladeira super íngreme para chegar a um conjunto de bangalôs e, a partir dele, atravessar umas pedras para, enfim, chegar a uma praia saída de um quadro! Água azul clara, transparente com algumas pedras grandes, areia fina e branca, tudo abraçado por morros, floresta, árvores. A praia é bem vazia, rende fotos incríveis e mergulhos deliciosos! Vale a pena a aventura de ir até lá!

lanta6

National Park & Lighthouse – no extremo sul da ilha está o Parque Nacional! É necessário pagar 200 baht (22 reais) por pessoa para entrar no parque + 20 baht para estacionar a moto. Lá dentro, você pode fazer uma trilha mato a dentro ou contemplar as duas praias que são separadas pelo morro onde está o farol: uma de areia branca e outra de pedras. Há macacos por todos os lados e eles são ligeiramente anti-sociais, portanto tome cuidado ao se aproximar (para não ser atacado) e também com seus pertences enquanto dá um mergulho (eles roubam!!). Não achamos essencial que você visite o Parque, afinal há praias mais lindas que aquelas e há macacos fofos nas trilhas para praias de acesso gratuito! Se está sobrando grana e tempo, ok, faça a visita!

…………

Faltando poucos dias para ir embora, já sentimos falta do ritmo tranquilo da ilha, das manhãs tostando na praia, das tardes com os mais lindos pôr do sol que já vimos… Dá vontade de ficar para sempre por aqui, mas a aventura continua e ainda temos muito conteúdo de Tailândia para dividir com vocês! 😉

2 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como chegar a Machu Picchu

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Manual completo para viajar de navio de carga

Como fazer a Trans Siberiana

2 comentários
  1. 29 de julho de 2016

    Nossa
    Que legal
    Que mes vcs ficaram na Tailândia?
    Pegaram muita chuva?

    1. Fefa Trindade Responder
      1 de agosto de 2016

      Olá Vivian! Obrigada pelo comentário. Ficamos na Tailândia durante 20 dias em maio! Teoricamente, era início da época das monções, mas pegamos dias de muito sol e apenas duas tempestades de verão que foram rápidas.
      Está planejando uma viagem para lá?
      Abs e volte sempre!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*