Tailândia – visita a famosa Koh Phi Phi

Data: 13 Maio, 2016

Categoria: Mochilão

Como eu contei nesse post, por uma série de razões, eu e o Will decidimos ficar em Koh Lanta por um bom tempo, ao invés de ir pulando de uma ilha a outra como faz a maioria dos turistas que vem para o sul da Tailândia.

Nós tínhamos que escolher entre curtir plenamente e descansar de verdade em uma única ilha, ou acelerar o passo e conhecer de forma breve algumas delas. Depois de 4 meses agitados de mochilão, escolhemos o descanso! E, aaahh, não nos arrependemos! 😉

O único passeio que estava mais do que confirmado no roteiro era ir até Koh Phi Phi, a ilha onde está localizada Maya Bay, “A Praia” que fez Leonardo di Caprio perder a cabeça naquele filme que é um dos favoritos do Will e meu!

the beach

Em Koh Lanta há uma série de agências de turismo que vendem o tour de um dia a Phi Phi. E todas elas comercializam praticamente a mesma coisa: Transporte para ir e voltar da ilha, barco tradicional Long Tail para levar os turistas a Praia dos Macacos, a Maya Bay, ao almoço e snorkel nos corais de Pi-Lah e Loh-Samah. O pacote sai por cerca de 1200 baht (122 reais) por pessoa.

Estávamos ansiosos na manhã de um domingo ensolarado, aguardando o tradicional carro que leva os turistas para o pier: uma espécie de pau de arara onde já começa a emoção do passeio! hahahaha!

koh phiphi3

Chegando ao pier, uma confusão danada de turistas que precisam passar por uma catraca para serem devidamente identificados com adesivos de cores distintas: Day Tour Phi Phi; Day Tour 4 ilhas (pequenas ilhas do arquipélago de Koh Lanta); Transporte Ida e Volta a Phi Phi; Transporte Somente Ida Phi Phi; Transporte Pucket; etc.

Depois de identificados, muitos turistas pegam o mesmo ferry e só serão novamente separados na chegada a Phi Phi.

koh phiphi

Chegando à ilha, já sentimos a diferença em relação a Lanta! Muita gente, muuuuita gente!! Lanchonetes, barracas de artesanato, mochileiros para todos os lados, barcos e mais barcos. A ilha ferve!!

Aguardamos a chegada de nosso long tail e a paisagem já era de perder o fôlego! A água de um azul claro transparente que eu nunca tinha visto!

Embarcamos e lá fomos nós para a primeira e absolutamente impressionante parada: a Praia dos Macacos! Infelizmente, não chegamos a ancorar para descer na areia, ao invés disso o barco ficou parado bastante próximo de um dos morros da pequena ilha, onde a água era mais transparente que de uma piscina e os macaquinhos se penduravam nos galhos das árvores para pegar pedaços de frutas que ganhavam dos turistas dos barcos.

phiphi2

O problema que enxerguei ali? Os turistas imbecis que dão comida industrializada aos macacos e, além de poder fazer mal aos bichinhos, as embalagens vão parar no mar, claro. 🙁

Mas nadar naquele mar transparente e azul (sim! nessa foto abaixo eu estou no mar e não numa piscina!!), rodeada de macaquinhos, foi no mínimo surreal e muito emocionante! O Will fez alguns vídeos desse momento histórico e em breve vamos subir para o canal do Youtube!

koh phiphi2

Dali, partimos no barco para a parada tão sonhada: Maya Bay!! E assim que atravessamos as duas grandes pedras que praticamente fecham e escondem a praia, veio nossa decepção: lotação máxima de barcos e turistas. À primeira vista, ela não se parecia nada com a praia do filme!!

Passado o primeiro choque, e com o passar do tempo que esvaziou consideravelmente a praia, consegui olhar com os meus tradicionais olhos otimistas e apaixonados e – plim!! – comecei a enxergar a beleza estonteante de lá! Ela é pequena, quase que totalmente abraçada pelos morros, de água tão azul clara que parece uma piscina! A faixa de areia é bem pequena, o que aumenta a sensação de lotação de turistas, mas é possível sim contemplar quão linda ela é e desfrutar do delicioso mar transparente!

phiphi4

Por lá ficamos mais de uma hora. Eu e o Will concluímos que, para curtir plenamente Maya Bay e ter uma visão mais privilegiada, o negócio é dormir em Phi Phi pelo menos uma noite e alugar um barco às 6h da manhã para visitar a praia vazia… Fica a nossa dica! 🙂

Entramos novamente no nosso Long Tail e a próxima parada foi no meio do mar, nas proximidades de Pi-Lah, onde a água também é totalmente transparente e o fundo do mar cheio de corais. Eu nunca havia nadado com snorkel em um lugar tão impressionante!! Eram tantas cores, tantos peixes diferentes, ouriços do mar, vida, vida, vida! Tão lindo, tanta vontade de chorar de emoção em ter a oportunidade de vivenciar aquilo!

100_3208

Como nossa câmera a prova d’água está beeem velha, não quisemos arriscar alguns mergulhos com ela, então as imagens do que vimos embaixo d’água ficarão somente na nossa memória, mas o que posso garantir é: pegue o snorkel e mergulhe sim! Vai valer cada segundo!!

Depois de muito encantamento marinho, almoçamos e partimos para a segunda parada: às margens de Loh-Samah para mais snorkel. Também lindo e emocionante, até que eu avistei umas 6 águas vivas e uma delas me pegou de raspão. Hehehehe.. desisti do nado e voltei para o barco! 😛

Depois de 5 horas de passeio, o barquinho nos deixou no pier de Phi Phi e tínhamos ainda 1h30 livres para conhecer o centro, as barraquinhas de artesanato, as lojas e o movimento da ilha!

phiphi1

Aproveitei o tempo livre para fazer uma tradicional massagem tailandesa (aquela familiar e não a massagem feita pelas moças peladinhas, viu?! hahaha) e foi outro momento épico da viagem!!

A massagem thai é super interessante! A massagista usa as pernas e braços para alongar o cliente de forma impressionante!! Saí de lá encantada com a técnica, totalmente relaxada e pronta para a viagem de 1 hora no ferry até Koh Lanta. 🙂

De volta à “nossa ilha”, concluímos que o passeio valeu a pena principalmente pela Praia dos Macacos e pelo nado nos corais, mas para quem quer curtir plenamente Maya Bay, o negócio é realmente pernoitar na ilha e acordar bem cedinho para vê-la vazia como Hollywood mostrou no filme!

E seguimos curtindo a Tailândia! Vem com a gente!

0 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Manual completo para viajar de navio de carga

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Como fazer a Trans Siberiana

Como chegar a Machu Picchu

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*