Vá para a Mongólia e fique com os nômades!

Data: 18 agosto, 2016

Categoria: Mochilão

A Mongólia não é um lugar que está no topo da lista da maioria dos turistas. O país é geladíssimo (Ulan Bator é a capital mais gelada do mundo), bastante vazio (população de 3 milhões de pessoas no 19º maior país do mundo), muito longe de tudo e “espremido”entre dois países do tamanho de continentes: Rússia e China.

Por isso, desembarcar na Mongólia dá uma emoção danada de quem praticamente chegou ao fim do mundo! Se chegar de trem, vindo da Rússia ou da China pela Trans Mongoliana, a emoção é ainda maior, já que a viagem de trem é uma jornada memorável.

O país é um grande deserto gelado e sua população é de origem nômade. Foram os primeiros cavaleiros da história e devido à, até então, inédita técnica de montar aos cavalos e lutar com seus inimigos, o Império Mongól, fundado em 1206 liderado por Genghis Khan, foi o maior império de todo o mundo.

mongolia7

E o sangue nômade não deixou de correr nas veias dos mongóis, mesmo com o fim do Império e as tantas lutas que marcaram sua história até 1921, quando conseguiram a independência do país. Dos 3 milhões de habitantes da Mongólia, metade vive em Ulan Bator, a capital, e a outra metade circula pelo país em seus grupos e famílias nômades.

Então, a coisa mais bacana pra se fazer lá é ter contato com essas famílias e a forma como vivem em suas casas desmontáveis que aguentam o frio rigorosíssimo do país, chamadas de Gers.

mongolia1

Você terá contato profundo com a natureza e a paz, com kilometros e kilometros de paisagens incríveis e absolutamente vazias para contemplar e explorar. Céus tão estrelados que parece que despencarão. Culinária diferente de tudo que já provou e um modo de pensar sobre a vida que emociona.

Se convenceu a encarar essa aventura?! Então aqui estão as dicas essenciais para você conseguir ter essa experiência e curti-la plenamente:

1. Casas de famílias

Muitas agências de viagem em Ulan Bator levam os turistas para campings ou hotéis nos Parques Nacionais que simulam a estrutura das Gers. Apesar de hospedados no meio do deserto com visuais incríveis, ficar nas cabanas falsas não proporciona nem 1/10 do que a família tradicional proporcionará em experiências inesquecíveis. Fique atento e exija da agência de viagem que a experiência seja com uma família tradicional.

mongolia2

2. Tradutor

É muito importante que você tenha a companhia de um guia que fale o idioma local e algum idioma que você fale. Afinal, a conversa com a família nômade é super rica, emocionante e cheia de significado! No nosso caso, quem nos levou e nos acompanhou na aventura foi o Heigi, dono do hostel em que nos hospedamos em Ulan Bator e amigo de infância da família visitada.

3. Desapego

Não adianta esperar o seu padrão de conforto e de higiene durante essa experiência. Afinal, no meio do deserto, numa casa feita de madeira e peles de animais, você não vai ter um banheiro, água encanada, água quente ou aquecedor. São dias sem banho, necessidades no mato, longe das Gers, água coletada dos rios. Em compensação, passeios e visuais sensacionais pelo deserto! 😉

mongolia6

mongolia5

2 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como fazer a Trans Siberiana

Como chegar a Machu Picchu

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Manual completo para viajar de navio de carga

2 comentários
  1. 10 de Abril de 2017

    Adorei as dicas!! 👍👍

    1. Will Gittens Responder
      1 de junho de 2017

      Valeu Lee, realmente a Mongólia é um dos meus países favoritos do mundo, vai sem medo que terá lembranças para a vida toda. Abraço!!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*