Viajo sozinha SIM!

Data: 9 Março, 2016

Categoria: Mochileiras

Nos últimos dias tenho tentado digerir a triste história do assassinato das duas meninas argentinas que viajavam juntas pela América do Sul, bem como a bizarra abordagem de “autoridades”,  parte da imprensa e parte da opinião pública que afirmam que elas são as principais responsáveis pela tragédia, afinal “ousaram viajar sem a companhia de um homem”.

Tentei digerir, tentei esquecer, mas ontem, com as tantas manifestações a respeito do Dia Internacional da Mulher, percebi que o desconforto não havia saído do meu estômago… estava lá parado como um bolo de tristeza, raiva, solidariedade, medo, nojo. O bolo se misturava às tantas lembranças maravilhosas das trips que fiz sozinha e traziam à minha memória os momentos que senti medo, simplesmente por ser uma mulher desbravando o mundo.

Lembrei dos poucos momentos de tensão que havia vivido nos mochilões e senti calafrios em pensar que algo terrível poderia ter acontecido comigo, como ocorreu com elas. Lembrei dos rostos das tantas mulheres viajantes que conheci no caminho e recordei claramente que, em muitos momentos, senti preocupação quando alguma delas não aparecia no quarto do hostel por muitas horas durante a noite.

Lembrei das minhas amigas mochileiras, valentes mulheres que não se deixaram abater e desbravaram (e continuarão desbravando) o Brasil, as Américas, a Europa, Ásia, etc, apenas na maravilhosa companhia de si mesmas e de suas mochilas.

Reli diversos relatos de viajantes solitárias que compartilham suas histórias e aventuras. Reli também meu e-book e meus posts que abordam experiências e dicas para que mulheres reduzam os riscos e medos de viajar sozinhas pelo mundo. A web está repleta de blogs focados no tema “Mulheres viajantes” para inspirar a mulherada a vencer os medos, arrumar as malas e partir para o mundo, buscando a realização de seus sonhos.

E, apenas para reforçar o que eu já sabia, procurei conteúdos que abordassem dicas de segurança para homens que viajam sozinhos. Obviamente, não encontrei.

Mais uma vez, senti raiva pela injustiça. Senti raiva em saber que meus posts sobre Dicas de segurança para mulheres viajantes estão entre os mais lidos do blog e que meu e-book continua sendo acessado e adquirido na Amazon.

Mas, aí, constatando o alto interesse das mulheres pelo tema e o crescente número de bloggeiras e youtubers tratando do assunto, senti uma onda de esperança e orgulho.

O bolo de sentimentos ruins parados no meu estômago foi se refazendo em uma força transformadora, em uma certeza de que nós, mulheres, não vamos parar, não vamos nos abater, não vamos nos trancar em casa com medo daqueles que acham que não temos os mesmos direitos de ir e vir dos homens (e não só no tema “viagem”, como em diversos outros temas da sociedade).

Nós vamos continuar viajando sozinhas. E vamos cada vez mais longe!

Infelizmente (e felizmente), nós vamos continuar gerando conteúdo e buscando todo tipo de informação e dicas para diminuir os riscos que podemos correr, afinal a parte retrógrada e machista da sociedade não evolui com a mesma velocidade que nós nos empoderamos… Mas nós não vamos parar!!

Eu não vou parar de incentivar mulheres a realizar o sonho de viajarem sozinhas. Eu não vou parar de compartilhar todo tipo de dica para que elas se sintam seguras em desbravar o mundo. Apesar de estar fazendo essa volta ao mundo na companhia do maridão, eu tenho certeza que ainda farei muitas viagens sozinha, e na companhia de outras mulheres, e eu não vou parar de lutar pelo meu direito de ser uma mochileira em aventuras solo. E vocês, queridas leitoras, não vão parar de procurar informações e de encararem o mundo.

Fica feito nosso acordo.

Fica aqui registrada minha profunda tristeza pelas moças viajantes que não tiveram a oportunidade e o direito de concluírem suas trips. Fica documentado o meu desprezo por quem acha que nós colocamos nossas vidas em risco ao decidir viajar por aí sem a companhia de um homem. Fica reforçado o meu orgulho de todas as maravilhosas mulheres que não se deixam abater.

4 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Como morar em um trailer

Guloseimas para comer na fogueira

Itália e Croácia – Trechos de trem, ônibus e muitas dicas

Quanto custa morar em um barco

4 comentários
  1. Maria Rita Camara Monteiro Responder
    9 de Março de 2016

    Maravilhoso texto.
    Eu não tenho coragem e nem mais idade para uma aventura solo.
    Admiro todas as mulheres que têm essa coragem e determinação .

    1. Fefa Trindade Responder
      9 de Março de 2016

      Mas você é uma das mulheres que me inspirou a viajar!! Quando eu era uma moleca de tudo, você fazia muitas viagens com suas amigas, sem nenhum homem para “escoltar” vocês! 😉

  2. Rezoca Responder
    10 de Março de 2016

    Minha escritora favorita!!!! Falou e disse!!! 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

    1. Fefa Trindade Responder
      11 de Março de 2016

      Obrigada!! Bora inspirar a mulherada a botar a mochila nas costas e buscar a realização dos seus sonhos!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*