Visite o Museu de História Natural de Berlim!

Data: 5 agosto, 2016

Categoria: Mochilão

Nossa visita a Berlim foi muito menor do que a cidade merecia. Estávamos na Alemanha há mais de 15 dias, o orçamento apertado devido aos altos preços de hospedagem e transporte público nas cidades alemãs, mas passar pela capital era obrigatório, afinal todos os amigos e mochileiros que já haviam visitado a cidade nos diziam que era um lugar imperdível.

E é mesmo! Berlim ferve cultura, história, bares, restaurantes, monumentos, avenidas incríveis. Está preparada pra receber turistas e oferece atrações para todos os bolsos, dos mochileiros mais quebrados aos viajantes mais ricos e exigentes. (nesse post falamos um pouco mais sobre isso!)

Então, já que nossa grana para a Alemanha já estava no fim, ficamos somente dois dias na capital e focamos nosso tempo nas tantas atrações gratuitas: Portão de Bradenburgo, Muro de Berlim, Checkpoint Charlie, Alexanderplatz, ruas, avenidas e praças.

berlin

Porém, há uma enorme quantidade de museus de altíssima qualidade em Berlim (mais de 150 museus!) e é quase impossível que não exista pelo menos um que se encaixa totalmente aos seus gostos e interesses. Por isso, é preciso fazer uma boa pesquisa e separar pelo menos um pequeno orçamento para escolher um desses museus.

Dias antes de chegar a Berlim, eu fiz uma ampla pesquisa, vi os pontos fortes dos museus mais famosos da cidade e, apesar de já ter visto na TV diversas imagens do famoso museu de história natural de Nova York (filmes de Hollywood já o mostraram inúmeras vezes) e nunca ter despertado em mim a vontade de visitar esse tipo de acervo, assim que li a resenha sobre o Museu de História Natural de Berlim, tive certeza que era lá que investiria meus euros! 🙂

Ele é o maior Museu de História Natural da Europa, com o maior dinossauro montado do mundo! Possui absurdos 30 milhões de espécies de bichos, plantas e minérios, um planetário incrível e muitas atrações interativas. Apesar do alto apelo para crianças (que enlouquecem lá dentro), é um passeio absolutamente inesquecível para adultos.

A primeira impressão que se tem, ao entrar no museu, é que estamos dentro de um grande estúdio cinematográfico, afinal logo na entrada estão os incríveis e gigantescos fósseis montados dos dinossauros, em uma sala super iluminada e de pé direito muito alto. Simplesmente, nos sentimos dentro do Jurassic Park!

berlin3

Na Sala dos Dinossauros, ficamos por cerca de uma hora, boquiabertos, com dor no pescoço de tanto que olhávamos pra cima e pros detalhes daqueles bichões fantásticos. Pra completar a experiência, há diversos pontos interativos, onde podemos – por meio de alta tecnologia) ver aqueles fósseis ganharem vida e aprendemos sobre seus hábitos e alimentação. Coisa fina e a molecada enlouquece (e eu também!).

berlin4

A sala seguinte é dedicada exclusivamente ao T-Rex montado!! O fóssil não está completo e é possível ver as próteses no lugar de alguns ossos, mas o efeito não é menos impressionante! Aquele enorme bicho inteiro, em uma sala super produzida em luzes, sons e pontos interativos te remete automaticamente às cenas do filme Parque dos Dinossauros!

Depois de se esbaldar nos répteis gigantes, o planetário é a próxima parada super interessante e também interativa. Porém, tão impressionante quanto a ala dos dinossauros, é a sala dos mamíferos e aves! Muitas, muitas espécies perfeitamente empalhadas. Muitas cores, muitas texturas e um considerável aumento de admiração e respeito pelo Criador disso tudo! Que capricho é essa Mãe Natureza!

berlin6

berlin8

Por ali, ficamos mais uma hora, olhando com calma os detalhes dos tantos bichos que compõem a fauna do planeta Terra. Eita mundo incrível!

Na sala seguinte, por uma limitação pessoal, eu não consegui ficar mais de 5 minutos… Era outra enorme sala com inúmeras espécies, mas dessa vez eram os artrópodes, répteis, anfíbios… Ou seja, sapos, cobras, todo tipo de aranha, lagartos, insetos gigantes, etc e tal. Deve ser realmente interessante pra quem não morre de aflição com aquelas espécies todas! A moça da cidade aqui não aguentou! 🙂

Seguindo em frente, você encontrará a parte que, para mim e para as crianças (hahahaha), é a menos interessante: a sala dos minérios! É muita, muita, muita pedra diferente, minha gente!! Intrigante ver tantas cores, texturas e a finalidade de uso daqueles minérios! Reforça mais ainda o respeito por quem criou tudo isso.

Depois de passar por todas as salas e fazer um respeitável mergulho no universo da poderosa Mãe Natureza, você voltará ao início do museu para sair pelo mesmo lugar por monde entrou. Então, aproveite para dar mais uma boa olhada nos dinossauros, afinal não é todo dia que você terá a oportunidade de ver um trabalho tão cuidadoso e caprichado de preservação e exposição de espécies que viveram na Terra há milhões de anos.

berlin7

O Museu de História Natural de Berlim mostra como os alemães não brincam em serviço quando o assunto é cuidado e preservação de relíquias em museus. Todo o ambiente é extremamente bem cuidado, limpo, organizado. As principais sinalizações e pontos interativos estão disponíveis em alemão e em inglês. A tecnologia é usada em total harmonia com as antiguidades ali presentes. Um verdadeiro espetáculo que nós recomendamos muito que você coloque no roteiro!

4 comentários

Compartilhe!
Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn Enviar por email
Palavras:

Você vai gostar de ler:

Rota de volta ao mundo: Começando a organizar

Como chegar a Machu Picchu

Como fazer a Trans Siberiana

Manual completo para viajar de navio de carga

4 comentários
  1. Haka Neto Responder
    7 de agosto de 2016

    Parabéns pela coragem e por compartilhar seus conhecimentos conosco. Tenho 33 anos e esse ano fiz uma madança radical de vida: mudei da capital com esposa e filha de 4 anos e vim morar em Jericoacoara, paraíso perdido nas dunas do Ceará. Agora me apaixonei por velejar, e olhe que ainda sou apenas um passageiro. O fato é que meu próximo passo é morar a bordo, mas para isso quero saber muito, inclusive construir meu próprio veleiro. Minha pergunta é qual caminho devo seguir para aprender a contruir e aprender a velejar? Nesse primeiro momento penso em algo em torno de 40 mil reais. Muito obrigado e continue mandando notícias. Vlw! (Ah! Se quiser aparecer em Jeri, vc já tem um amigo por aqui – interesseiro, mas tudo bem rsrs…)

    1. Will Gittens Responder
      9 de agosto de 2016

      Olá Haka, obrigado por acessar o blog!! Fico feliz que esteja morando nesse paraíso que é Jeri, realmente morando aí não tem como não se apaixonar pela vela e vida ao mar. Seu primeiro passo você já deu, está procurando saber mais sobre o assunto. Agora é fundamental que você faça um pequeno curso de vela em um Dingue, quanto mais tempo na água você passar, mais vai aprender. Já vai também estudando para as provas de arrais, mestre e capitão. Seguindo esses passos, em uns 2 anos você estará mandando muito bem na navegação em geral, não somente na vela. Somente navegando bastante você vai conseguir descobrir qual o veleiro adequado para você e aí investir na construção de um. Sobre a grana, depois de 80 horas de aluguel, vale a pena comprar um dingue, depois parte para um Day Sailor e finalmente comece a pensar em um veleiro maior. Com esses 40 mil dá para fazer tudo isso que falei e vai sobrar ainda. Um grande abraço e continue acompanhando o blog!!

      1. Haka Neto Responder
        22 de agosto de 2016

        Obrigado, Will! Que tal vc escrever um manual (passo-a-passo) sobre como se tornar um Capitão e construtor! Eu compraria com certeza. Abraço

        1. Will Gittens Responder
          25 de agosto de 2016

          Olá Haka, obrigado pela idéia. Estamos lançando algumas novidades para quem ama barcos e quer aprender mais do assunto. Obrigado pela visita e continue acompanhando o blog!! Um abraço e bons ventos!

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*